Procedimentos Otorrinolaringológicos

Epistaxe - Sangramento Nasal

A epistaxe é o sangramento nasal. Pode ser leve a severa, dependendo da causa e da localização do sangramento.

Nas crianças, o mais comum é o sangramento dos vasos sanguíneos situados na região anterior do septo nasal. São sangramentos geralmente espontâneos, mais leves e de curta duração. Ocorrem por trauma nasal, desvio do septo ou por uma crise de rinite alérgica ou sinusite na maioria das vezes. O tratamento é a cauterização química realizada no consultório médico.

Nos adultos, principalmente nos idosos, os sangramentos são mais severos, originados de vasos mais calibrosos localizados na região posterior da cavidade nasal. São causados geralmente por infecções, crises hipertensivas, e até por tumores da cavidade nasal. São considerados a maior emergência da especialidade otorrinolaringológica. Antigamente o paciente era internado e submetido a um tamponamento nasal anteroposterior durante 3 dias e muitas vezes ocorria nova hemorragia após a retirada do tampão.

Com o advento da cirurgia endoscópica, a epistaxe passou a ser encarada de forma mais prática e segura, e muito menos traumática. O paciente com sangramento severo é submetido a cirurgia para dissecção e cauterização dos vasos sanguíneos da região posterior da cavidade nasal e sai da cirurgia sem sangramento, sem tampão, e tem alta no mesmo dia.

Primeiros Socorros – em caso de sangramento nasal:

  • Repouso
  • Manter a cabeceira do leito elevada 30º
  • Fazer compressão digital no nariz durante 10 minutos
  • Compressas de gelo na face por 20 minutos